quarta-feira, 21 de abril de 2010

Enade – ENEM – FIES – ProUni

ENADE
O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), tem o objetivo de aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências.
O Enade é realizado por amostragem e a participação no Exame constará no histórico escolar do estudante ou, quando for o caso, sua dispensa pelo MEC. O Inep/MEC constitui a amostra dos participantes a partir da inscrição, na própria instituição de ensino superior, dos alunos habilitados a fazer a prova.
Quem vai fazer o Enade 2010
São convocados a fazer o exame os estudantes ingressantes e concluintes dos cursos a serem avaliados. O órgão define como ingressantes "os estudantes do final do primeiro ano do curso aqueles que, até o dia 2 de agosto de 2010, tiverem concluído entre 7% e 22%, inclusive, da carga horária mínima do currículo do curso da IES [Instituição de Ensino Superior]".

Veja também quem são os concluintes: "serão considerados estudantes do último ano do curso aqueles que, até o dia 2 de agosto de 2010, tiverem concluído pelo menos 80% da carga horária mínima do currículo do curso da IES ou aqueles estudantes que tenham condições acadêmicas de conclusão do curso no ano letivo de 2010". Também entram na lista universitários que tenham "condições acadêmicas de conclusão do curso no ano letivo de 2010".

Para os cursos superiores com carga mínina de 2.000 horas as definições sofrem ajustes. Os ingressantes devem ter concluído entre 7% e 25% da carga horária. Já os concluintes devem ter concluído pelo menos 75% da grade. Nesse caso, os alunos que tenham "condições acadêmicas de conclusão do curso no ano letivo de 2010" também devem fazer o exame.
Quem está dispensado
Estão dispensados do Enade 2010 os estudantes que colarem grau até o dia 31 de agosto de 2010 e aqueles que estiverem oficialmente matriculados e cursando atividades curriculares fora do Brasil, na data de realização do Enade 2010 em instituição conveniada com a IES de origem do estudante.

A portaria prevê ainda a aplicação de provas em municípios onde há pólos de apoio presencial credenciados pelo MEC. Segundo o Inep, o atendimento aos estudantes de cursos de graduação na modalidade de educação a distância avaliados em 2010 será ampliado.
Fontes:
http://educacao.uol.com.br/enade/
http://www.inep.gov.br/superior/enade/enade_oquee.htm

ENEM
O Enem – Exame Nacional do Ensino Médio foi instituído em 1998 para ser aplicado, em caráter voluntário, aos estudantes e egressos deste nível de ensino. Realizado anualmente, tem como objetivo principal avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica, para aferir o desenvolvimento de competências fundamentais ao exercício pleno da cidadania.
Também são objetivos do Enem:
- oferecer uma referência para que cada cidadão possa proceder à sua auto-avaliação com vistas às suas escolhas futuras, tanto em relação ao mundo de trabalho quanto em relação à continuidade dos estudos;
- estruturar uma avaliação ao final da educação básica que sirva como modalidade alternativa ou complementar aos processos de seleção nos diferentes setores do mundo de trabalho;
- estruturar uma avaliação ao final da educação básica que sirva como modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso aos cursos profissionalizantes pós-médios e à Educação Superior;
– possibilitar a participação e criar condições de acesso a programas governamentais.
A estrutura do Exame tem como base uma matriz com a indicação de competências e habilidades associadas ao conteúdo do Ensino Fundamental e Médio que são próprias ao sujeito na fase de desenvolvimento cognitivo, correspondente ao término da escolaridade básica. O Enem é constituído por uma prova única contendo 63 questões objetivas de múltipla escolha e uma proposta para redação.
FONTE: http://www.blogodorium.net/o-que-e-enem-informacoes-sobre-o-enem-como-participar/
PÁGINA OFICIAL DO ENEM: http://www.enem.inep.gov.br/enem.php

FIES - Financiamento Estudantil
O Programa de Financiamento Estudantil - FIES é destinado a financiar a graduação no Ensino Superior de estudantes que não têm condições de arcar com os custos de sua formação e estejam regularmente matriculados em instituições não gratuitas, cadastradas no Programa e com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC.

Criado em 1999 para substituir Programa de Crédito Educativo – PCE/CREDUC, o FIES tem registrado uma participação cada vez maior das Instituições de Ensino Superior – IES e dos estudantes do país. Em 2007 foram 1.046 mantenedoras, 1.459 I.E.S, 2.080 campi em todo Brasil. Desde 1999 já são mais de 500 mil estudantes beneficiados, com uma aplicação de recursos da ordem de R$ 4,6 bilhões entre contratações e renovações semestrais dos financiamentos desde a criação do programa.

A partir de 2005, o FIES passou a conceder financiamento também aos bolsistas parciais, beneficiados com bolsa de 50%, do PROUNI – Programa Universidade para Todos. Apenas para este público já foram realizadas mais de 4,6 mil contratações.

Atualmente, a ordem de prioridade para concessão do FIES é a seguinte:
• Bolsistas parciais de 50% do ProUni - Programa Universidade para Todos, seja de bolsas oferecidas obrigatoriamente como adicionalmente.
• Estudantes beneficiários de bolsas complementares matriculados em cursos considerados prioritários.
• Estudantes beneficiários de bolsas complementares matriculados nos demais cursos.
• Estudantes matriculados em instituições de educação superior que tenham aderido ao ProUni.
• Demais estudantes matriculados em Instituições de Ensino Superior que não tenham aderido ao ProUni.

Caracterizam-se como Bolsas complementares as bolsas parciais de 25% oferecidas adicionalmente àquelas previstas nos termos de adesão ao ProUni.

O FIES é um dos programas do Governo que apresenta o maior padrão tecnológico. Praticamente todas as operações do processo seletivo, iniciando-se pela adesão das instituições de ensino, passando pela inscrição dos estudantes e divulgação dos resultados e entrevistas são realizadas pela Internet.

Esta modernidade representa comodidade e facilidade para todos os seus participantes. Isso além de garantir a confiabilidade e transparência a todo o processo, o que vai ao encontro da missão da CAIXA de dar maior efetividade às políticas públicas do Governo Federal.

Os critérios de seleção, impessoais e objetivos, têm como premissa atender à população com efetividade, destinando e distribuindo os recursos de forma justa e igualitária, garantindo a prioridade no atendimento aos estudantes de situação econômica menos privilegiada.

Esta iniciativa do Governo Brasileiro é mais um passo importante para a democratização do acesso à educação de qualidade, a fim de propiciar ao maior número possível de estudantes a permanência e a conclusão do ensino superior, contribuindo na formação dos líderes que conduzirão o futuro deste país.
Fonte: http://www3.caixa.gov.br/fies/FIES_FinancEstudantil.asp
ProUni
O que é e como funciona o ProUni:
O ProUni é um programa do Governo federal que oferece bolsas integrais e parciais a estudantes de baixa renda em instituições de ensino superior privadas. E as instituições que participam do programa tem isenção de alguns tributos.
Para conseguir bolsa integral o estudante tem que ter renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para a bolsa parcial, que significa 50% da mensalidade, o estudante tem que ter renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos.
Também são oferecidas bolsas de 25% pelo o ProUni para estudantes com renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos para cursos com mensalidade de até R$ 200.
Para participar do ProUni é necessário fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obter nota mínima de 45 pontos (média aritmética entre as provas de redação e conhecimentos gerais). Esses resultados do Enem serão utilizados como critério para a distribuição das bolsas de estudos. Os estudantes que obtiverem melhores notas no exame têm maiores chances de escolher o curso e a instituição em que estudarão.


O ProUni - Programa Universidade para Todos foi criado pela MP nº 213/2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005. Tem como finalidade a concessão de bolsas de estudos integrais e parciais a estudantes de baixa renda, em cursos de graduação e seqüenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior, oferecendo, em contrapartida, isenção de alguns tributos àquelas que aderirem ao Programa.
No seu primeiro processo seletivo, O ProUni ofereceu 112 mil bolsas em 1.142 instituições de ensino superior de todo o país. Nos próximos quatro anos, o programa deverá oferecer 400 mil novas bolsas de estudos.
A implementação do ProUni, somada à criação de 10 universidades federais e 49 novos campi, amplia significativamente o número de vagas na educação superior, interioriza a educação pública e gratuita e combate as desigualdades regionais.
Todas estas ações vão ao encontro das metas do Plano Nacional de Educação, que prevê a presença, até 2010, de pelo menos 30% da população na faixa etária de 18 a 24 anos na educação superior, hoje restrita a 12%.
Fonte:
http://www.mundodastribos.com/o-que-e-e-como-funciona-o-prouni-como-conseguir-bolsa-de-estudo.html
http://www.mundovestibular.com.br/articles/110/1/O-QUE-E-O-PROUNI/Paacutegina1.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário